sexta-feira, 10 de junho de 2011

Um sonho que inda não é realidade linha 3 / Metrô São Gonçalo/RJ

Nome: Jardim CatarinaInauguração: DesconhecidaDesativação: 2007Histórico de concessões e ferrovias: Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU) (1984-1994), Companhia Fluminense de Trens Urbanos (Flumitrens) (1994-1998), Companhia Estadual de Engenharia de Transportes e Logística (CENTRAL) (1998-Atualmente) Plataformas: 1Uso atual: AbandonadaFoi em Jardim Catarina que encontramos as piores condições relativas a invasão do ramal. Dentro do bairro - considerado bastante perigoso - as construções ficam a poucos metros dos trilhos, existem muitos puxadinhos sobre a via e sem contar que vários trechos foram cercados, ou seja, impossível de se avançar seguindo pelos trilhos. Andamos um bom tempo por dentro de Jardim Catarina, até que o Cleiton nos alertou que do ponto em que estavamos em diante não seria seguro continuar pelo interior do mesmo. Decidimos então seguir pelo acostamento da RJ-104 (Rodovia Amaral Peixoto), já achando que não encontraríamos mais a parada local. Para nossa surpresa, a mesma não se encontra dentro do bairro, mas sim as margens da rodovia e em frente a um bar com um sugestivo nome: "Bar da Estação". Da parada, com os mesmos métodos de construção da anterior, só restou o pedaço mais próximo ao bar. Infelizmente, não deu para tirar muitas fotos, já que o clima no local não era dos melhores, tanto é que uma mulher nos veio perguntar se trabalhávamos para o governo, pois ela tinha comprado uma casa por R$ 25 mil próximo ao leito e tinha medo de que a mesma fosse desapropriada e demolida por causa das futuras obras da Linha 3 do metrô. Antes de ir embora ainda nos disse que torcia para que a linha não saísse. Lamentável.






Histórias do Bairro de Jardim Catarina / SG.


publicado em Janeiro de 2007.




AMAJAC - Associação dos Moaradores e Amigos do Jardim Catarina -SG.

5 comentários:

  1. A liberação da verba para o início das obras foi inicialmente trancada, pois o Tribunal de Contas da União recomendou que o Congresso Nacional não liberasse recursos para o projeto. Esta é a segunda vez que o TCU condena projeto, que estava inicialmente avaliado em mais de R$ 700 milhões. Entre as falhas consideradas mais graves está o sobrepreço do projeto.


    O Contrato n.º 2/2002, que refere-se a obra do Lote 2 da Linha 3 do metrô, assinado no ano de 2002, foi firmado no valor de R$ 714.972.486,31, que, reajustado até junho de 2009, equivale a R$ 1.369.241.950,00. Entretanto o Convênio n.º 1/2008 (SIAFI n.º 640150), assinado em 2008, tem o valor total de R$ 62.500.000,00 dos quais R$ 50 milhões provém da União e R$ 12,5 milhões do Governo do Estado.

    Ou seja, os recursos conveniados estão muito além do necessário à execução da obra. Além do mencionado convênio, o TCU aponta também que o projeto básico está deficiente ou desatualizado; o plano de trabalho apresentado pela Secretaria de Transportes do Rio de Janeiro(Setrans/RJ) não continha todos os requisitos exigidos pela legislação em vigor e não há cadastramento no Sistema Integrado de Administração de Serviços Gerais (SIASG). Além disso,os documentos de seguro-garantia disponibilizados pela Setrans/RJ à equipe de auditoria do TCU estavam com a vigência vencida desde junho de 2009.

    Segundo o TCU, para que as verbas sejam liberadas, a Setrans deverá refazer o projeto atual, detalhando o projeto básico com nível de precisão adequado para caracterizar a obra, além de elaborar orçamento detalhado que possibilite a avaliação do custo global da obra. O BDI deverá ser detalhado, informando quais custos estão considerados em cada um dos seus itens. Em nota, a Secretaria Estadual de Transportes informou que sempre encaminhou ao TCU todas as explicações solicitadas e ainda não foi notificada desta nova decisão. No entanto, a Secretaria cumprirá todas as novas exigências feitas pelo órgão para viabilizar a obra sem qualquer prejuízo para o governo ou para a população.

    Em setembro de 2011, o vice-governador e secretário de Obras, Luiz Fernando Pezão, disse que a obra já foi adequada ao que o TCU pediu, e que foram entregues as exigências de contrapartidas financeiras do estado, e neste mesmo mês o governador Sérgio Cabral anunciou que serão seis as estações construídas, passando agora a serem executados pela Secretaria de Obras. Em dezembro do mesmo ano, o Congresso Nacional aprovou um projeto que não liberasse recursos para o projeto, pois segundo o congresso, houve deficiência no projeto e o sobrepreço na aquisição de produtos e serviços. Depois de muito insistir, o governo não conseguiu contornar os problemas apontados pelo Tribunal de Contas da União na concorrência anterior, realizada em 2001. Resultado: o cancelamento da licitação antiga foi publicado no Diário Oficial.

    A área técnica trabalha nos detalhes do novo processo de escolha da empresa que será encarregada da construção. O governo resolveu criar uma PPP (Parceria Público Privada) para a obra. Segundo o vice Pezão, em sua fala em 2011, era possível que a obra ficasse pronta até 2014, último ano do governo Cabral.

    A obra ainda não teve início e é uma urgência para a população de São Gonçalo. A Comissão Mista Pela Linha 3 do Metrô luta para mostrar ao Governo do Estado a necessidade da população, e pede o fim do entrave político nesta questão.

    EU QUERO LINHA 3 DO METRÔ - DIA 22/05/2013

    ResponderExcluir
  2. lém do poder Legislativo da cidade de São Gonçalo estar presente na comissão, representado pelo Vereador Diego São Paio, participam da comissão mista pela linha 3 do metrô o Rotary Club, a Unibairros e as Associações de Moradores, a Associação Comercial de São Gonçalo, a Associação dos Aposentados de Niterói e São Gonçalo, a MPC, CPMSG, UNIJOR, OAB, Agenda 21 e Associação dos Hospitais de São Gonçalo.

    Após Audiência Pública realizada no dia 02 de Abril de 2013 na Câmara dos Vereadores de São Gonçalo, onde o assunto abordado foi a Linha 3 do Metrô, ficou decidida a formação de uma Comissão Mista onde o Vereador Diego São Paio convidou representantes de entidades Gonçalenses e da sociedade civil. A idéia inicial era promover reuniões para debater a importância da Linha 3 do Metrô e organizar atos públicos e manifestações que mostrem ao Governo do Estado que a população de São Gonçalo precisa com urgência de um meio de transporte de massa na cidade. A primeira reunião foi realizada no dia 26/04/2013 e daí por diante várias entidades se uniram por uma causa: O início das obras da Linha 3.

    A partir da criação desta comissão serão criadas ações e mobilizações por toda a cidade. Um gabinete itinerante irá percorrer os bairros recolhendo assinaturas para um abaixo-assinado e esclarecerá a população as ações realizadas pela comissão. Um ato público reunirá centenas de pessoas para atravessar a Baía de Guanabara pelas Barcas, vestindo camisetas específicas que terão dizeres pedindo as obras do metrô. Este ato seguirá até a Assembleia Legislativa onde o abaixo-assinado será entregue ao presidente da casa.
    Outra Audiência Pública será convocada na ALERJ para que o assunto seja abordado em esfera estadual.
    Acompanhe nossa agenda e fique por dentro.

    A comissão mista pela linha 3 do metrô desenvolveu um logo de identificação do movimento. Moradores de Itaboraí, São Gonçalo e Niterói, juntem-se a nós, compartilhem nas redes sociais a sua vontade de ter o metrô em sua cidade.

    ResponderExcluir
  3. Agenda
    Confira abaixo nossa agenda de ações e mobilizações.
    Dia 31/05/2013 - Tendas para recolhimento de assinaturas (abaixo-assinado) e esclarecimento sobre o projeto da linha 3 do metrô.
    Local: Praça Estephania de Carvalho (Zé Garoto) / Centro Comercial do Alcântara / Praça Luiz Palmier (Centro de São Gonçalo).

    ResponderExcluir

  4. Obras de drenagem e urbanização são reiniciadas no Jardim Catarina, SG

    Em São Gonçalo, meta é entregar todas as ruas asfaltadas do bairro e implantar o saneamento até dezembro. Investimento do PAC para o município fluminense chega a R$ 2,5 bilhões

    O Departamento de Estrada de Rodagem (DER) reiniciou esta semana as obras de pavimentação, drenagem e urbanização no bairro do Jardim Catarina, em São Gonçalo. Em visita ao canteiro de obras, a subsecretária estadual de Governo da Região Metropolitana, Cristiane Amaral, e a deputada estadual Graça Matos informaram que até dezembro a meta é entregar todas as ruas asfaltadas e os sistemas de drenagem e saneamento implantados.

    As obras são executadas pelo DER, vinculado à Secretaria Estadual de Obras. Os recursos são parte do Governo Federal, via Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), e parte do Estado. De acordo com o vice-governador Luiz Fernando Pezão, somente no âmbito da secretaria de Obras, o Governo do Estado está investindo mais de R$ 2,5 bilhões em São Gonçalo, entre pavimentação asfáltica e abastecimento de água pela Companhia Estadual de Águas e Esgotos (Cedae).

    “Até dezembro, vamos duplicar o volume de água na cidade. A cada mês o fornecimento vai melhorar, com a reativação das estações de tratamento paradas há mais de 20 anos”, garantiu Pezão.

    Em conversa com moradores, a deputada Graça Matos garantiu que a localidade do Ipuca também será incluída no cronograma de obras. “Conversamos com o governador Sérgio Cabral e com o vice-governador Pezão. Mostramos a necessidade da região e a importância das obras para a população. Cabral e Pezão garantiram que o Ipuca irá receber toda infraestrutura necessária para se tornar um lugar digno de se viver”, informou.

    Além de pavimentação de ruas, a implantação dos serviços de saneamento básico, drenagem, abastecimento de água, esgoto sanitário e urbanização em diversas localidades do bairro estão em andamento. Neste momento as obras foram retomadas em várias ruas, como Eugênio Floretim, Borges Nogueira, Navarro da Costa, Piracanjuba, São Borges Galeano, Diamantes (trecho entre a Marcos da Costa até Olegário Nascimento), Rubis (trecho entre a Marcos da Costa até Olegário Nascimento), Olegário da Costa, Cardeal Álvaro da Silva, Expedicionário José Gomes, Expedicionário João Nunes, Expedicionário Francisco A. Azevedo, Valdir F. Nunes, Expedicionário Ari de Azevedo.

    Pacote – A deputada Graça Matos também lembrou que o Governo do Estado lançará no próximo dia 14 de junho um novo pacote de obras para São Gonçalo. Nele estão incluídos a construção de 1,2 mil casas populares, ampliação do sistema de abastecimento de água, obras de urbanização, com drenagem, meio-fio, calçada e asfalto em vários bairros, Delegacias Legais, macrodrenagem da bacia do Rio Alcântara, esgotamento sanitário na Bacia do Imboaçu e do Brandoas, construção de Maternidade e implantação da Linha 3 do Metrô. Este novo investimento chega a R$ 3,7 bilhões.

    Mobilidade – Do pacote de obras, Graça destacou o projeto “Bairro Novo”, que consiste em levar urbanização, com drenagem, meio-fio, calçada e asfalto até ruas e avenidas de terra batida. “Serão 226 ruas, que totalizam 83 quilômetros de vias beneficiadas. A diferença deste projeto para o “Asfalto na Porta”, que estamos realizando em São Gonçalo, é que agora vamos levar obras de infraestrutura a ruas, avenidas e estradas que nunca foram pavimentadas”, explicou.

    Os bairros que serão beneficiados são: Galo Branco, Laranjal, Jardim República, Mutuaguaçu, Fazenda dos Mineiros, Itaúna, Boa Vista, Porto do Rosa, Nova Cidade, Jardim Catarina, Vista Alegre, Lagoinha, Pacheco, Santa Luzia e Mutuapira.

    FONTE DO JORNAL O FLUMINENSE

    DIA: 22 DE MAIO DE 2013 (Publicado)

    ResponderExcluir
  5. ORDENAMENTO URBANO NO BAIRRO DE JARDIM CATARINA:
    Para que o trânsito do Bairro de Alcântara melhore , é necessário a urência da construção de um viaduto ligando o bairro de Jardim catarina com o bairro da trindade Sob o Rio Alcântara, um "Projeto há mais de 40 anos engavetado, assim ligando as Ruas: Otácilio Negrão de Lima (R.19), Rua Gonçalves Ledo (R.20), em sistema binário com as Avenida Padre vieira e a avenida Dr. Albino Imparato e Avenida Santa Catarina com a Avenida São paulo no Bairro da Trindade e a Avenida Vicente lima creto.

    Vias de Acesso ao Centro de São Gonçalo, por sete pontes,mutondo,nova cidade etc.

    Jose Carlos Policarpo

    Diretor Presidente da AMAJAC

    Jardim Catarina, 22 de maio de 2013

    ResponderExcluir